Criado mudo nome correto

Ao explorar o vasto universo do mobiliário, nos deparamos com um item versátil frequentemente encontrado em quartos e salas: o criado-mudo. No entanto, a jornada por informações sobre esse móvel muitas vezes revela uma curiosidade que pouca gente.

Dessa forma, surge a relevância de compreender o significado por trás de um nome comum, mas que carrega um significado profundo e cheio de raízes na história antiga. 

Nesta exploração, vamos mergulhar na origem do termo “criado-mudo”. Então, se você ficou curioso sobre o nome correto do criado mudo, continue conosco e confira!

sala de estar branca minima design estetico

Contents

Origens do Termo “Criado-Mudo”: Uma Breve História do Seu Nome

Embora muita gente ainda utilize o termo criado mudo para denominar aquele móvel que fica ao lado da cama, há muito tempo ele vem caindo em desuso e a razão para isso está justamente na sua origem.

Isso porque criado mudo é um termo racista, usado de forma pejorativa para ferir a imagem dos negros.

Pois, em 1820, escravos que trabalhavam nas casas da burguesia e realizavam afazeres domésticos eram chamados de criados. Dessa forma, tanto homens quanto mulheres costumavam ficar de pé, parados ao lado da cama dos nobres para servir-lhes quando chamassem.

Esses escravos serviam água, lençóis e ficavam totalmente imóveis, às vezes, sem se quer poder falar uma palavra para não incomodar os nobres. Assim, aquele que falasse ou se mexesse era punido com chicote e tinha a sua língua cortada.

Com o passar do tempo, surgiu a ideia de utilizar um móvel ao lado da cama em substituição ao escravo, que recebeu o nome de criado mudo, como forma de diferenciá-lo dos escravos.

Mudanças na forma de denominar o móvel

Desde 2019, diversas empresas de decoração lançaram uma campanha para abolir de vez a nomenclatura de criado mudo. A partir de então, esse móvel passou a ser conhecido como mesa de cabeceira.

O termo racista e preconceituoso vem caindo em desuso graças as empresas que lutam para apagar esse resquício da escravidão, que, embora pareça ingênuo, demonstra que ainda está enraizado na cultura do brasileiro.

Outras variações da mesa de cabeceira

A diversidade cultural se reflete não apenas em tradições e costumes, mas também na maneira como designamos objetos do cotidiano. No caso do criado-mudo, observamos fascinantes variações regionais na sua nomenclatura. 

Por exemplo, enquanto em algumas regiões do Brasil o termo “mesinha de cabeceira” é comum, outras preferem “gaveteiro noturno” ou “mesa de cabeceira”. 

Essas variações não apenas destacam a riqueza linguística, mas também revelam nuances culturais e preferências locais na forma como as pessoas se referem a esse item essencial de mobiliário.

Conclusão

Conforme vimos ao longo deste texto, não é correto utilizar o nome criado mudo para designar esse móvel tão comum na casa do brasileiro. Pois, esse termo remonta à época da escravidão, onde as pessoas eram posicionadas ao lado da cama dos nobres para servir-lhes água e qualquer outra coisa que desejarem.

Dessa forma, o nome correto para o criado mudo é mesa de cabeceira, ainda que em outras regiões haja algumas variações. Assim, utilizar o termo certo ajuda a acabar com as raízes preconceituosas que nossa cultura possui.